MINHA CASA TEM CIÊNCIA?

Exposição mostra o laboratório que existe em cada casa

IMG_20171211_110807

“Minha Casa tem Ciência?” É esta pergunta que nomeia a exposição inaugurada em janeiro pelo Espaço Ciência. Nos diversos ambientes, o visitante descobre que o lar de cada pessoa é um laboratório científico. IMG_20171211_110629A exposição é composta por sala, quarto do casal, quarto da criança, cozinha, banheiro e lavanderia. Em cada canto, é possível perceber o quanto estamos sempre rodeados de Ciência: na composição química dos produtos de higiene e de limpeza; nos tipos de fibra que formam cada vestimenta; nos pigmentos que compõem as tintas da parede; nos alimentos que preparamos e comemos; e até nas fezes deixadas no vaso sanitário.

Para mostrar isso, a exposição utiliza estratégias diversas: vídeos, jogos, brincadeiras e experimentos. O visitante pode, por exemplo, deitar na cama do casal e assistir um vídeo que mostra a química do amor. Ou se divertir cantando no chuveiro, em um karaokê que fala de Ciência em divertidas paródias. E que tal escrever com uma tinta invisível? Ou medir o pH dos produtos de higiene?

IMG_20171211_111934No quarto da criança, é possível deitar, ouvir uma historinha e descobrir o que ocorre com nosso corpo quando dormimos… Na cozinha, o visitante pode descobrir sobre a composição dos alimentos e suas transformações. Na lavanderia, pode entender como cada produto de limpeza, ácido ou básico, interage com o tipo de fibra dos tecidos e consegue remover manchas ou sujeiras.

A acessibilidade é uma das preocupações da exposição. Adquirida da Casa da Ciência/RJ, com apoio do CNPq e da SBQ (Sociedade Brasileira de Química), ela possui, em vários de seus ambientes, QR Codes que podem ser acessados pelos visitantes para assistirem os vídeos em libras. Alguns dos objetos também contêm descrições em braile.

Para o diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão, “Minha Casa tem Ciência” segue o objetivo do Museu, que é aproximar a população e o conhecimento científico: “Ela revela a Ciência como algo que está bem próximo de nós – em nossa casa e em nosso cotidiano”, diz Pavão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *