PROTAGONISTAS DA CIÊNCIA

Em depoimentos emocionantes, jovens vencedores do TVC mostram que se descobrir cientista é o maior prêmio da disputa

DSCF9468

Em um auditório lotado, alunos, professores e gestores que participaram da Solenidade de Encerramento do Torneio Virtual de Ciência mostraram que, mais que qualquer medalha, o prazer de se descobrir cientista é o maior prêmio da disputa. Para a estudante Thayná Cavalcanti, da Escola Clóvis Beviláqua, no Recife, o Torneio mostrou que, “mesmo com poucos recursos, é possível fazer Ciência. E que nós podemos, com a Ciência, ajudar nossa comunidade”.

Cada depoimento, dos professores ou dos alunos, mostrou que os jovens são os protagonistas de cada etapa do Torneio. “Eu aprendi muito com eles. Às vezes o professor não tem tanto tempo de se dedicar a um projeto e eles tomaram a frente, tiveram ideias e nos estimularam com sua empolgação”, disse a professora Mirinalva Silva, que estava com turmas de duas escolas de Jaboatão dos Guararapes: a Augusto de Castro e a Torquato de Castro.

Muitos vieram de longe para participar desta festa da Ciência: de Salgueiro, de Arcoverde, de Terra Nova… Alguns são veteranos na disputa, outros – como a Escola Municipal Imaculada Conceição, de Quipapá – chegam pela primeira vez: “Estou maravilhada: foi muito lindo ver o esforço do grupo e toda escola se mobilizando a cada desafio. Estamos todos de parabéns!”, afirmou a diretora Nadja Paulino.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS

O município de Itaíba chegou à Solenidade com quatro escolas premiadas: uma particular (Educandário Menino Jesus) e três públicas – Major Antônio Inácio,  Frei João Pereira de Souza e a campeã geral, Escola Getúlio Vargas. O secretário Municipal de Educação, Júnior Brandão, comemorou as conquistas junto com seus jovens cientistas.

Professor da Escola Técnica Lucilo Ávila, José Alberto Sales arrancou aplausos ao destacar o aspecto revolucionário de uma ferramenta pedagógica como o TVC: “Queremos uma escola em que ninguém precise fiscalizar se o aluno está queimando a aula, porque ele terá vontade de participar das aulas. Uma escola que troque o quadro e o giz pelo estímulo às descobertas”, afirmou.

Foi corroborado por sua aluna Ana Beatriz Félix: “Na escola que queremos, o professor não é um ente superior, mas participa das descobertas com os alunos. Precisamos de novas tecnologias e, quando falo em tecnologia, não falo de equipamentos eletrônicos, mas de ferramentas que estimulem o interesse pelo conhecimento”, disse a jovem.

Para o diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão, “o que faz com que um país tenha craques no futebol é porque, desde pequenininha, a criança é estimulada a jogar bola. “Nosso país também pode ter muitos craques na Ciência. Só precisa estimular isso”.

Professora do EREM Augusto Gondim, de Goiana, a professora Viviane Menezes ainda estava comemorando uma conquista anterior: do projeto vencedor da Ciência Jovem, na categoria Desenvolvimento Tecnológico. Os dois alunos, que já estão se organizando para irem ao Chile, também estavam na Solenidade do TVC: campeões do 2º ano na Zona da Mata. “Vocês não têm ideia do quanto a Ciência está transformando a vida destes jovens”, disse Viviane.

Professor do EREM José Leite Barros, de Tacaimbó, Edilson Moura reforça o potencial dos jovens: “Eles precisam ser desafiados e, quando são, dão respostas impressionantes”. Para ele, o Torneio segue os pilares da Unesco para a Educação de qualidade: “estimula a pensar, agir, trabalhar em equipe; integra as disciplinas curriculares e une a escola e a comunidade”, diz. E cita, como exemplo, o 3º desafio do TVC, de coleta e destinação de pilhas secas, que ultrapassou o limite do município e envolveu até as cidades vizinhas.

Aline Lima, aluna do EREM Gil Rodrigues, que embarca no próximo ano para estudar nos Estados Unidos, citou Paulo Freire e lembrou que “a educação não muda o mundo, mas muda pessoas. E pessoas mudam o mundo”.

Além das medalhas e certificados, os professores premiados receberam uma assinatura da Revista Pesquisa da Fapesp. E alunos de seis escolas receberão Bolsas de Iniciação a Pesquisa, do CNPq. Serão dois estudantes de cada escola selecionada. Foram escolhidas as seis escolas públicas com maior pontuação geral e cujos estudantes estejam, em 2018, cursando o Ensino Médio. A equipe de organização do Torneio entrará em contato com as escolas selecionadas. Confira:

  • Escola Municipal Getúlio Vargas (9º ano)
  • ETE Lucilo Ávila (1º ano)
  • Frei João Pereira de Souza (9º ano)
  • EREM Gumercindo Cabral (2º ano)
  • Escola Municipal Imaculada Conceição (9º ano)
  • Escola Tabajara (1º ano)

CONFIRA A PREMIAÇÃO

CONFIRA A COBERTURA COMPLETA DO TORNEIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *