TRÂNSITO DE VÊNUS: 139 ANOS

Observação do fenômeno em Olinda permitiu chegar a medidas mais exatas da distância da Terra ao Sol

Nesta segunda, 6 de dezembro, fazem 139 anos da observação do Trânsito de Vênus na cidade de Olinda. O evento, em 1882, marcou a primeira participação do Brasil em um empreendimento científico de repercussão internacional. Graças a ele, foi possível chegar a medidas mais exatas da distância da Terra ao Sol. Além de celebrar o aniversário do Trânsito de Vênus, a dica para os fãs da Astronomia é ficar de olho na lua, que estará em conjunção com vários planetas. 

O trânsito de Vênus só é possível quando ocorre o alinhamento entre o planeta Vênus, o Sol e a Terra, ou seja, um  fenômeno raro.  Ele se repete a cada 243 anos com pares de trânsitos espaçados de oito anos, seguidos de longos intervalos de 121,5 e 105,5 anos. A sequência mais recente aconteceu em 2004 e 2012 e a próxima está prevista apenas para ocorrer em 2117 e 2125.

 Johannes Kepler foi o primeiro astrônomo a conseguir predizer um trânsito de Vênus, em 1627. Desde então, as observações dos fenômenos tornaram-se mais comuns e, no século XVIII, passou-se a organizar missões astronômicas globais, com observações realizadas de pontos espaçados do planeta.

Foi o que aconteceu com o Brasil, quando participou de uma das três missões organizadas pelo Observatório Nacional em 1882. A primeira, de Olinda, ficou em território nacional; a segunda foi para a ilha de São Tomaz, nas Antilhas; e a terceira se observou a partir de Punta Arenas, no Chile. As medidas obtidas da distância Terra-Sol foram muito próximas dos valores atualmente aceitos. E novas observações foram realizadas durante os Trânsitos de Vênus de 2004 e 2012, que permitiram, entre outras coisas, refinar as técnicas para busca de planetas fora do sistema solar.

MÊS DE CONJUNÇÕES –  Esse mês, a dica é ficar de olho na lua, que estará em conjunção com vários planetas: no dia 6, com Vênus; no dia 7, com Saturno; e, no dia 8, com Júpiter. As conjunções serão especialmente espetaculares por causa do alinhamento planetário. Os três planetas estarão alinhados em uma bela linha reta ao longo da eclíptica, que é a projeção sobre a esfera celeste da trajetória aparente do Sol, observada a partir da Terra. No dia 31, será a vez de Marte estar em conjunção com a Lua. 

Por Fabiana Coelho e Rebeca Furtunato

Comentários estão fechados.