CIÊNCIA JOVEM ENCERRA INSCRIÇÕES

429 projetos, de 22 estados brasileiros e de outros cinco países, estão inscritos na 27ª edição da Feira

A 27ª edição da Ciência Jovem, Feira Internacional de Ciências de Pernambuco, encerra as inscrições com 429 projetos. São 139 trabalhos a mais do que no ano passado, quando houve 290 inscrições. “Esse crescimento mostra que, mesmo com a pandemia, os estudantes e professores estão conseguindo desenvolver projetos de pesquisa nas escolas. Isso nos alegra muito”, afirma diretor do Espaço Ciência e coordenador geral da Feira, Antonio Carlos Pavão.

Os números ainda são menores do que os que eram registrados antes da pandemia. Na edição de 2019, por exemplo, foram 530 inscrições. “A pandemia afetou a organização de feiras de ciências e a realização de projetos. Os participantes tiveram que se acostumar a novos formatos e conviver com as dificuldades de realizar pesquisa com as limitações impostas pelo novo contexto. Mas acreditamos que, daqui pra frente, avançaremos cada vez mais”, opina Eulália Almeida, da Coordenação da Ciência Jovem.

Estão representados 22 estados brasileiros entre os 429 projetos registrados. A novidade internacional é que, além dos parceiros latino-americanos, que já costumavam participar da Feira, a Ciência Jovem registrou a participação de um país europeu: a Turquia. Ao todo, são 12 projetos internacionais. Além da Turquia, estão inscritas equipes da Argentina, México, Colômbia e Paraguai.

A seleção daqueles que participarão do evento levará em conta os critérios descritos no regulamento e a lista de participantes será divulgada a partir do dia 21 de setembro. A Feira acontecerá mais uma vez de forma remota, nos dias 10, 11 e 12 de novembro. Haverá apresentações ao vivo na plataforma da Ciência Jovem e divulgação dos vídeos dos projetos no canal do Youtube.

A Ciência Jovem é promovida, há 27 anos, pelo Espaço Ciência, Museu Interativo de Ciência de Pernambuco. São seis categorias: Iniciação à Pesquisa, para alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental (1º ao 5º ano); Divulgação Científica dirigida ao Ensino Fundamental (6º ao 9º ano); Incentivo à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico, para estudantes de Ensino Médio; e Francis Dupuis, para projetos internacionais.

A Ciência Jovem inclui, ainda, a categoria Educação Científica, voltada para professores. Os projetos têm o formato de relato reflexivo de uma experiência pedagógica vivenciada pelo professor com alunos da educação básica e ensino técnico profissionalizante, e serão expostos com apresentação oral.

CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES

Comentários estão fechados.