MULHERES DO ESPAÇO CIÊNCIA

No Dia Internacional das Mulheres, o Espaço Ciência se orgulha de ter 56,5% de mulheres em sua Coordenação

As mulheres são maioria na Coordenação do Espaço Ciência. Dentre os 23 integrantes da equipe, incluindo o diretor do Museu, Antonio Carlos Pavão, 13 são mulheres – o equivalente a 56,5%. Elas ocupam cargos-chave e estão à frente de iniciativas importantes: a Ciência Jovem, as ações itinerantes, as ações sociais, a monitoria, a educação ambiental, a Comunicação, as finanças, o setor de Visitação, a Secretaria Executiva…

No entanto, no Dia Internacional da Mulher, enquanto o Museu se orgulha da participação feminina em suas ações, as mulheres, do Brasil e do mundo, ainda têm um longo caminho de luta pela frente.

Os dados publicados pelo IBGE no último dia 4 mostram que, em 2019, enquanto 73,7% dos homens estavam no mercado de trabalho, entre as mulheres esta taxa era de apenas 54,5%. Em lares onde não havia crianças com até 3 anos de idade, este percentual subia para 67,2%. As estatísticas de participação no mercado de trabalho eram ainda menores para mulheres negras, sobretudo mães de crianças pequenas. A pesquisa revela, ainda, que as mulheres dedicam às atividades domésticas mais que o dobro do tempo ocupado pelos homens para estes fins.

A desigualdade na divisão dos trabalhos domésticos é, aliás, responsável por vários outros problemas que atingem as mulheres. Elas são, por exemplo,  cerca de 54% dos estudantes de doutorado no Brasil. Entretanto, elas são minoria nos níveis mais altos da carreira acadêmica e científica. Apenas 24% dos beneficiários da bolsa produtividade, concedida pelo governo, são mulheres. E elas não são menos produtivas: são, por exemplo, responsáveis por quase 70% do total de publicações de cientistas brasileiros entre 2008 e 2012. 

A necessidade de conciliar o trabalho e os serviços domésticos também as faz aceitar ocupações com carga horária reduzida. Em 2019, cerca de um terço das mulheres (29,6%) estavam ocupadas em tempo parcial, quase o dobro do verificado para os homens (15,6%).

As desigualdades se revelam ainda em vários outros aspectos: elas recebem cerca de 77,7% do que recebem os homens; ocupam apenas 37,4% dos cargos gerenciais; e, embora tenham maior nível de instrução, são minoria na docência superior.

ACESSE AQUI AS INFORMAÇÕES DO IBGE

No Dia Internacional da Mulher, a dica do Espaço Ciência, para quem ainda não assistiu, é conferir o espetáculo “Insubmissas, Mulheres na Ciência”, que foi transmitido ao vivo pelo nosso canal no Youtube no Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. (ACESSE AQUI). Outra dica é escutar a entrevista da diretora de Pesquisa da Fiocruz-Pernambuco, Constância Ayres, no podcast COM CIÊNCIA NINGUÉM POD. (ACESSE AQUI)

Comentários estão fechados.