DEFENSIVOS NÃO, AGROTÓXICOS!

Brasil, o maior consumidor de agrotóxicos “perigosos”. No Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos, que tal conversar sobre isso?

Esta segunda, 11 de janeiro, é o Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos. Na data criada para estimular a reflexão sobre os riscos do uso indiscriminado destes produtos, vale ressaltar que o Brasil, um dos cinco países campeões na produção de alimentos, é também o maior consumidor mundial de agrotóxicos considerados “perigosos”. Quase metade dos produtos das principais agroquímicas contêm pelo menos um agrotóxico altamente perigoso. Mais de dois terços das vendas vão para países de renda média e baixa, sendo o Brasil o principal mercado. 

Boa parte dos agrotóxicos usados no Brasil são banidos em países da União Europeia e nos Estados Unidos. Dentre os produtos liberados pelo atual governo nos últimos dois anos, a maior parte é fabricada na China. “É uma amarga ironia que o mesmo governo, que alega questões ideológicas para dificultar a aquisição de vacinas, tenha tanta facilidade em liberar carcinógenos provenientes da China”, opina o diretor do Espaço Ciência Antonio Carlos Pavão.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre os países em desenvolvimento, os agrotóxicos causam, anualmente, 70.000 intoxicações agudas e crônicas. O uso dessas substâncias também está altamente associado à incidência de doenças como o câncer e problemas genéticos. Pavão destaca, portanto, o uso correto do termo: “O termo certo não é defensivo agrícola, nem é pesticida. É agrotóxico. Não é tóxico apenas para as pestes, mas para todas as formas de vida. Seu uso intensivo fragiliza e reduz a fertilidade do solo, contamina a água e gera graves danos à saúde humana, sobretudo dos trabalhadores que o manuseiam.

Com: Outras Palavras, Brasil de Fato, Repórter Brasil

Comentários estão fechados.