A GRANDE CONJUNÇÃO

No dia do Solstício de Verão, Júpiter e Saturno estarão alinhados em uma rara proximidade visual

Esta segunda, 21 de dezembro, é uma data especial para quem gosta de Astronomia. Além de ser o Solstício que marca o início do Verão para os povos do hemisfério sul, com o dia mais longo do ano, será o dia da chamada “grande conjunção”. Trata-se de um alinhamento entre os dois planetas gigantes gasosos, Júpiter e Saturno, que estarão em uma proximidade visual tão rara, que somente foi possível acontecer de forma semelhante há quase 800 anos.

O nosso planeta leva um ano para dar uma volta em torno do Sol. Júpiter leva 12 anos e Saturno, 30 anos terrestres. Ou seja, conjunções entre estes dois planetas, que sejam visíveis para nós, podem ocorrer a cada 20 anos. Mas esse alinhamento de 2020 tem especificidades que o tornam muito mais raro. Uma aproximação visual entre esses eles ocorreu há aproximadamente 397 anos. Mas algo semelhante ao que ocorrerá nesta segunda, somente aconteceu no início da manhã do dia 5 de março de 1226, há exatamente 794 anos.

Uma nova aproximação angular entre esses dois planetas deve ocorrer em março de 2080. Portanto, é bom aproveitar a oportunidade e ficar de olho no céu. “Estamos convidando todos e todas a registrarem o fenômeno e enviarem suas fotos para comunicacaoec@gmail.com”, afirma Cleiton Batista, da Coordenação de Astronomia do Espaço Ciência e Observatório da Sé.

Para a observação, ele explica que basta olhar para o Oeste, direção em que o Sol se põe no início da noite, visto que os dois planetas estão se pondo também. Ao firmar os olhos nessa direção, será observado um ponto mais brilhante, Júpiter, mais à esquerda da esfera celeste, e Saturno, com menor brilho, à direita de Júpiter.

Com o auxílio de telescópio, o observador poderá visualizar os planetas Júpiter, com suas faixas gasosas; Saturno, com seus anéis externos, e também as Luas de ambos. No caso de Júpiter, as Luas Galelianas (Io, Callisto, Ganymede e Europa); já em Saturno, Titan, Iapetus, Enceladus, Mimas, Janus, Tethys, Dione e Rhea.

SOLSTÍCIO DE VERÃO – Também na segunda começa oficialmente o Verão para os povos do Hemisfério Sul. Para os povos do Hemisfério Norte, a data marca o início do inverno. As festas Natalinas e de fim de ano guardam estreita relação com rituais realizados pelas antigas tribos do Norte para marcar o início da estação do frio.

No Brasil, esta estação apresenta dias mais longos que as noites, clima quente e chuvas torrenciais, em resultado da rápida evaporação das águas pelo aumento da temperatura. A maior parte de seu território está entre os trópicos, ou seja, o calor que existe durante todo o ano se acentua no Verão.
Para os nordestinos, as chuvas de verão são bem menos intensas e mais rápidas, se alternando com longos períodos de sol forte.

Comentários estão fechados.