ECLIPSE SOLAR

Fenômeno acontece na próxima segunda (14) mas, em Recife, apenas 1% dele será visível

Na próxima segunda (14), um Eclipse Solar será visível em vários países da América do Sul. Na Argentina e Chile, o fenômeno poderá ser observado em sua totalidade e, no Brasil, será visível de forma parcial em quase todo território, com exceção dos estados do Pará, Ceará, Rio Grande do Norte, Maranhão, Amapá e Roraima. A melhor cidade para observação será Porto Alegre (RS), onde 54% do eclipse será visível. No Recife, apenas 1% poderá ser observado.

O Sol entra na região de penumbra lunar às 10:33h e atinge o máximo do eclipse às 13:13h. “Nunca observe diretamente o Sol sem acessórios de segurança. Nem utilize qualquer tipo de filtro que não seja comprovadamente seguro. É o caso de filmes fotográficos queimados com vela, plásticos coloridos, radiografias, vidros esfumaçados, disquetes, CDs… Muitos materiais podem cortar a luz visível sem cortar os raios ultravioleta e trazer danos permanentes à visão”, alerta Cleiton Batista, da Coordenação de Astronomia do Espaço Ciência e Observatório da Sé.

A observação direta do Sol apenas pode ser feita com telescópios equipados com filtro de observação solar em sua abertura; óculos astronômicos de observação solar; ou vidro retangular de máscara para soldagem número 14. Mesmo assim, não se deve ultrapassar o tempo de um minuto de observação, com intervalo de 3 a 4 minutos entre uma observação e outra.

É possível também observar o Sol de forma indireta. Isso pode ser feito por meio do reflexo do astro na água ou por meio de uma projeção pin-hole, por meio da qual a luz do Sol projeta-se diretamente em um anteparo, após passar por um pequeno orifício. Confira um tutorial de como fazer esse tipo de projeção. Mesmo com estes cuidados, convém não ultrapassar o tempo de um minuto, com intervalo de 3 a 4 minutos entre as observações.

Um Eclipse Solar ocorre quando a Lua passa na frente do Sol, bloqueando a luz de nossa estrela e, portanto, deixando parte da Terra no escuro por alguns minutos. Um eclipse solar só pode acontecer na Lua Nova, pois é neste momento em que nosso satélite natural fica diretamente entre a Terra e o Sol. Como a Lua não é muito grande, a sombra que ela projeta sobre nosso planeta não é capaz de cobrir muitas regiões. Por isso, o fenômeno costuma contemplar apenas alguns locais.

As vezes, a Lua não consegue cobrir o Sol por completo em nenhuma parte do globo terrestre. Ocorre então o eclipse anular, em que as “bordas” do Sol escapam da sombra lunar. Confira abaixo alguns eclipses que ocorrerão em 2021:

26 de maio – Eclipse lunar total, visível no oeste da Ásia, Austrália, Pacífico e Américas;

10 de junho – Eclipse solar anular ou anelar, será visível ao norte da América do Norte, Europa, Ásia, norte do Canadá, Groelândia e Rússia;

19 de novembro – Eclipse lunar parcial, será visível nas Américas, norte da Europa, oeste da Ásia, Austrália e Pacífico;

04 de dezembro – Eclipse solar total, será visível na Antártida, sul da África, sul do Atlântico, sendo total na Antártida

CHUVA DE METEOROS – Também na madrugada da segunda (14), ocorre a máxima atividade da chuva de meteoros Geminídeas. Para observá-la, deve-se olhar em direção à constelação de Gêmeos, a partir das 22h do dia 13, ou para o alto do céu às 2h. Em condições ideias, é possível ver até 150 meteoros por hora. O fenômeno acontece quando a Terra atravessa uma região onde detritos de cometas e alguns entram na atmosfera terrestre, como estrelas cadentes

Comentários estão fechados.