SNCT: CONFIRA A PROGRAMAÇÃO

Ações integradas e bate-papos, além das atividades dos polos, fazem a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Pernambuco

Este ano, por conta da pandemia de Coronavírus, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia será atípica. Nada de caravanas da Ciência; exposições itinerantes ou atividades que possam gerar aglomeração. Em vez disso, o Espaço Ciência, coordenador do evento em Pernambuco, está propondo três atividades unificadas, além de bate-papos remotos e da programação traçada por cada um dos polos distribuídos pelo estado.

O destaque são as três ações unificadas: a reprodução do “Experimento de Eratóstenes”, o monitoramento da poluição luminosa e a criação da “Escola de Atenas” de cada polo. A primeira delas, o experimento realizado por Eratóstenes há mais de dois mil anos, servirá para reforçar a comprovação de que a Terra não é plana e medir mais uma vez a circunferência do planeta. Será repetido, sempre ao meio-dia local, pelos polos das diversas regiões do estado e também por gente de outros estados e outros países.

CONFIRA COMO PARTICIPAR DO EXPERIMENTO DE ERATÓSTENES

Pela noite, as instituições espalhadas pelos vários municípios do estado estarão medindo a poluição luminosa em sua região. Os dados serão compilados para traçar um panorama estadual que pode, inclusive, servir como base para a formulação de políticas públicas.

CONFIRA COMO PARTICIPAR DO EXPERIMENTO DA POLUIÇÃO LUMINOSA

Além disso, durante toda a semana, o Espaço Ciência estará compartilhando, em seu site e redes sociais, os painéis criados pelos polos inspirados na obra “A Escola de Atenas”, de Rafael Sanzio. A ideia é homenagear cientistas, artistas, educadores e ativistas que fazem a diferença em cada local. Ao final da Semana, espera-se ter um panorama artístico de pessoas que devem ser homenageadas pelo trabalho que prestam no estado.

CONFIRA COMO CRIAR SUA “ESCOLA DE ATENAS”

BATE-PAPOS – Os bate-papos ao vivo, transmitido por meio do Youtube do Espaço Ciência (Espaço CiênciaPE) são outro destaque da programação. Serão quatro conversas: sobre popularização da Ciência, na abertura do evento; sobre Inteligência Artificial, tema da SNCT deste ano; sobre poluição luminosa, tema de uma das ações unificadas; e sobre a importância histórica da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no encerramento.

Abertura – Segunda (19), 10h: No bate-papo de abertura da SNCT em Pernambuco, o tema da conversa é a importância de popularizar o conhecimento científico. Estarão juntos o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado, Lucas Ramos; o diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão; o astrofísico da UFRPE Antonio Carlos Miranda; o presidente da Academia Pernambucana de Ciência, José Antonio Aleixo; e o renomado físico Sérgio Mascarenhas que, entre outras coisas, é o fundador  do Instituto de Estudos Avançados de São Carlos, da USP; do Instituto de Pesquisas Adib Jatene e do Programa Internacional de Estudos e Projetos para a América Latina – PIEPAL.

ACESSE

Inteligência Artificial: a nova fronteira da Ciência brasileira, terça (20), 10:30h: A conversa sobre o tema nacional terá presença de Carmelo Bastos (Secti/Parqtel) e Diego Pinheiro (University of California), além do diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão. Carmelo é graduado em Engenharia Eletrônica, tem mestrado em Fototônica, doutorado em Telecomunicação e Pós-doutorado em Inteligência Artificial. Além de gerente de Pós-Graduação da UPE, colabora com a pós-graduação de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação da UFPE; e Ciência da Computação do Florida Institute of Technology. É cientista do Parque Tecnológico de Eletroeletrônica de Pernambuco (Parqtel/Secti) e ajuda a coordenar o programa Rota TIC Mangue Digital.

Diego Pinheiro é pesquisador em ciência de dados aplicados em saúde na School of Medicine da University of California. Tem Ph.D em Computer Science pela Florida Institute of Technology (FIT), envolvendo ciência de dados em transplante de órgãos, além de Mestrado em Engenharia de Sistemas e bacharelado em Engenharia de Computação pela Universidade de Pernambuco (UPE), envolvendo modelos computacionais baseados em inteligência de enxames. Atualmente, Diego se dedica à pesquisa transdisciplinar aplicada em saúde utilizando ciência de dados, inteligência artificial, e ciência de redes.

ACESSE

Menos luzes, mais estrelas: Quarta, 15h – O bate-papo sobre poluição luminosa, tema que embasa uma das ações unificadas da Semana, será conduzido com a presença do astrofísico Antonio Carlos Miranda, que coordena o projeto Desvendando o Céu Austral, da UFRPE; de Teresinha Rodrigues, pesquisadora do grupo de Ciências Planetárias do Observatório Nacional, que instalou e opera o Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica, em Itacuruba-PE; e Cleiton Batista, da coordenação de Astronomia do Espaço Ciência e Observatório da Sé.

Encerramento: Sexta, 15h – O encerramento oficial da SNCT-PE será um bate-papo entre o diretor do Espaço Ciência Antonio Carlos Pavão e o presidente da ABCMC (Associação Brasileira dos Centros e Museus de Ciência), Douglas Falcão. Eles vão conversar sobre o histórico da criação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e o cenário atual para a Divulgação Científica no Brasil. Logo após a conversa, também pelo Youtube do Espaço Ciência, haverá a transmissão ao vivo do lançamento de foguetes por parte da equipe do projeto Desvendando o Céu Austral, sob a batuta de Antonio Carlos Miranda.

PODCAST – O podcast COM CIÊNCIA NINGUÉM PODE, do Espaço Ciência, será especialmente dedicado à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Ele será lançado na terça-feira (20) e ficará disponível nas principais plataformas de podcast. Além de informar um pouco sobre o evento e programação, ele conta com uma entrevista especial com dois cientistas ligados à área da Inteligência Artificial. Anthony Lins é graduado em Sistemas de Informação, tem Mestrado em Ciência da Computação e Doutorado em Biotecnologia. Suas pesquisas envolvem sobretudo a relação entre Inteligência Artificial e Saúde e Meio Ambiente.

Teresa Ludermir é professora do Centro de Informática da UFPE e foi agraciada, em 2010, com o título de Comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico, pela governo federal. Também já recebeu os Prêmios do Mérito Científico da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e das Comissões Especiais de Redes Neurais e Inteligência Artificial. Tem graduação e Mestrado em Ciência da Computação pela UFPE e doutorado pelo Imperial College of Science/Inglaterra, na área de redes neurais. Suas pesquisas são na área de Aprendizado de Máquina; Redes Neurais Artificiais; Sistemas Inteligentes Híbridos; e Inteligência Artificial

PROGRAMAÇÃO DOS POLOS – O Espaço Ciência também estará divulgando, durante toda a semana, as atividades promovidas por instituições nas várias cidades do estado. São lives, Feiras e Mostras de Ciência, Mostras de Vídeo, minicursos e oficinas, exposições on line, entre outras atividades. CONFIRA AQUI

Deixe uma resposta