CELSO FURTADO, 100 ANOS

Domingo (26) marca o centenário do economista que buscou entender o Brasil e a mecânica do subdesenvolvimento

No próximo domingo, dia 26 de julho, completam-se 100 anos do nascimento, na Paraíba, de um economista que se tornou célebre ao buscar compreender o Brasil e a mecânica do subdesenvolvimento. Celso Furtado, autor de cerca de 30 títulos fundamentais para a história do pensamento econômico moderno, teve papel importante na condução político-econômica do país.

Entre outras coisas, foi fundador da Sudene e diretor do BNDE no governo Kubistchek; ministro do Planejamento do governo João Goulart; e embaixador do Brasil junto à Comunidade Europeia no período de reabertura democrática.

Durante seus 77 anos de vida, Celso Furtado foi jornalista, funcionário público, advogado, doutor em economia,  segundo tenente da Força Expedicionária Brasileira, pioneiro da Cepal (Comissão Econômica para a América Latina), criador e superintendente da Sudene, ministro do Planejamento, professor, embaixador e ministro da Cultura.

Passou por diferentes países. Em cada um deles, era o Brasil e a América Latina seu foco de interesse. Na França concluiu seu doutorado, com tese sobre a economia brasileira no período colonial. No Chile, integrou a recém-criada Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), órgão das Nações Unidas.

No Brasil, elaborou um estudo sobre a economia que serviria de base para o Plano de Metas do governo de Juscelino Kubitschek e, neste mesmo governo, foi fundador e superintendente da Sudene, onde criou e implantou a política de incentivos fiscais para investimentos no Nordeste, e diretor do BNDE. Também foi ministro do Planejamento no governo João Goulart.

Quando veio o Golpe Militar e o Ato Institucional nº 1 (AI-1), seu nome foi incluído na primeira lista de cassados e ele perdeu seus direitos políticos por dez anos. Neste período, passou pelo Chile, Estados Unidos, França, Inglaterra, seja como professor universitário, seja como conferencista das Nações Unidas. Foi beneficiado pela anistia decretada em agosto de 1979.

É autor de livros essenciais para a compreensão da economia, sobretudo entre os países subdesenvolvidos, a exemplo de “Formação Econômica do Brasil”, sua mais consagrada obra, publicada em 1959.

De volta ao Brasil, ele filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em 1981; Quatro anos depois, ajudou a criar o Plano de Ação do governo Tancredo Neves e foi nomeado Embaixador do Brasil junto à Comunidade Econômica Europeia. De 1986 a 1988, foi ministro da Cultura do governo José Sarney, quando criou a primeira legislação de incentivos fiscais à cultura. Faleceu no Rio de Janeiro, em 20 de novembro de 2004.

>> SAIBA MAIS SOBRE CELSO FURTADO

Celso Furtado é um dos cientistas homenageados da Caravana dos Notáveis Cientistas de Pernambuco, que integra a ação itinerante do Espaço Ciência e cujos objetivos são   reconhecer e divulgar o importante papel dos  cientistas pernambucanos; valorizar o patrimônio intelectual existente,  preservando a memória das  contribuições à ciência; e  estimular a vocação  científica das novas gerações. Confira.

Comentários estão fechados.