CIÊNCIA NO SERTÃO

Três projetos de estudantes de Flores-PE são premiados na Feira Brasileira de Jovens Cientistas

Três projetos desenvolvidos por estudantes da EREFEM Dário Gomes de Lima, no município de Flores, Sertão de Pernambuco, foram premiados na Feira Brasileira de Jovens Cientistas. Realizada de 26 a 30 de junho, a primeira Feira Brasileira de Jovens Cientistas, foi organizada, de forma totalmente virtual, por um grupo de jovens universitários e reuniu mais de 700 participantes de todo o Brasil. Foram mais de 300 projetos finalistas, 50 workshops simultâneos e diversas atividades interativas entre os participantes. 

As estudantes Tamyres da Silva e Fernanda de Lima levaram o Prêmio de Democratização à Ciência com o trabalho “MARACOCADA: Produção de cocadas a partir da farinha das cascas do Maracujá “. Elas utilizaram a casca do maracujá para a produção de cocadas com menor índice glicêmico, garantindo o reaproveitamento de resíduos em um alimento mais saudável. Concluintes do Ensino Médio, ambas fazem parte do Clube de Ciências da escola e  já foram premiadas na Mostra Científica e Feira de Ciências de Serra Talhada, bem como no Torneio Virtual de Ciência.

 

Jonathan Silva e Manoel Rezende, estudantes do 3º ano do Ensino Médio, levaram o 3° lugar em engenharias com ” Aspirador de Pó sustentável”.  Reutilizando motores descartados em sucatas eletrônicas, uma bateria recarregável e placas de energia solar, o equipamento foi pensado para contribuir na limpeza das salas de aula. Eles também fazem parte do Clube de Ciências da escola e têm participação ativa no Torneio Virtual de Ciências e na Ciência Jovem.

 

Mas o grande destaque ficou com o projeto de João Ewerton Ramos, concluinte do Ensino Médio, que levou duas premiações: 1° Lugar em Ciências Exatas e da Terra e prêmio de Honra em Educação e Ciências da Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil.  Intitulado “Produção de biodiesel e destinação dos subprodutos”, o trabalho garante uma forma de tratar a água da lavagem de biodiesel, por meio de eletrofloculação, e reaproveitar os resíduos de glicerina, destinando-a à produção de biopolímeros. Assim como os demais premiados, João Ewerton sempre teve participação ativa em Feiras de Ciência, a exemplo da Ciência Jovem. 

 

Dentre os prêmios, os alunos receberão assinaturas na Mettzer, certificados, medalhas, premiação em dinheiro e chromebooks. “A premiação material nos alegra, mas o que é mais gratificante é ver a ciência florir aqui no Sertão”, afima Gustavo Bezerra, professor da EREFEM Dário Gomes de Lima, que foi orientador dos três projetos premiados. Segundo ele, as equipes disputaram com estudantes de Institutos Federais, SESI, dentre outros centros de ensino e pesquisa. “Muitos alunos moram na zona Rural e apresentam muitas dificuldades para desenvolver os trabalhos. “Para as apresentações, eu tive que emprestar meus notebooks”, conta o professor. E completa:  “Isso mostra que estamos no caminho certo e não podemos parar”.

A 26ª CIÊNCIA JOVEM continua com pré-inscrições abertas. As pré-inscrições são uma forma de estimular a realização de projetos desde o início do ano letivo. Elas garantem um ponto na nota final. As inscrições definitivas serão lançadas em agosto. 

FAÇA SUA PRÉ-INSCRIÇÃO

Outras Feiras de Ciências no estado estão com inscrições abertas. É o caso da 5ª Feira de Ciências e Mostra Científica de Serra Talhadaque abre inscrições agora em julho, e da Feira de Ciências do Agreste Pernambucanoque está com inscrições abertas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *