O CÉU DE JUNHO

Confira o que dá pra ver no céu de junho e se liga nas dicas

Confira ao lado o que dá pra ver no céu de junho e, que tal observar o céu? Nas grandes metrópoles, a poluição luminosa atrapalha um bocado, mas quem mora no Sertão tem uma visão privilegiada. Se quiserem, compartilhem suas observações conosco pelo e-mail comunicacaoec@gmail.com/.

Há aplicativos para celular que podem te ajudar nesta tarefa: eles permitem que você aponte para o céu com o smartphone e obtenha informações sobre o astro observado (veja abaixo). 

Para os que gostam de Astronomia, o Espaço Ciência e o Observatório da Sé aproveitam para indicar alguns livros e filmes interessantes.

 

APLICATIVOS PARA CELULAR: 

Sky Map: O aplicativo para Android é gratuito e vem equipado com o sistema Google Sky Map. Usa dados da bússola e do GPS para identificar corpos celestes para os quais você aponta o smartphone. Ele ainda pode lhe direcionar a um objeto que você queira observar e fazer uma “viagem no tempo” para mostrar onde ele vai estar em alguma outra hora. No entanto, para o aplicativo automatizar a direção dos objetos celestes, o smartphone deve possuir “Giroscópio”.

Carta Celeste: Aplicativo gratuito, encontrado na App Store tanto para Android como para iOS, como “Star Chart”, destacando a localização de estrelas e constelações ao apontar a câmera do smartphone na direção do céu.

Lunar Map – Este aplicativo é gratuito e está disponível para Android e iOS. Trata-se de um mapa da Lua, com nomes de crateras, mares, cadeias de montanhas, além dos respectivos diâmetros.

ISS Detector – Este aplicativo é gratuito e está disponível para Android. Com ele é possível localizar a posição da Estação Espacial Internacional (ISS), recebendo também notificações quando a Estação estiver passando na sua localidade, já que é possível vê-la a olho nu. 

FILMES 

– Perdido em Marte (2015): A luta pela sobrevivência em Marte vivida pelo astronauta e botânico (Mark Watney) é citada pelos acertos científicos envolvidos no filme.

– Gravidade (2013): Interpretado por Sandra Bullock e George Clooney, astronautas que lutam para sobreviver no espaço após perderem contato com a Terra. O filme foi ganhador de sete estatuetas e tem boa aceitação entre cientistas.

– Star Trek (1966 –): A fronteira final de Gene Roddenberry influenciou gerações a sonharem ir onde nenhum humano tinha ido. A série Star Trek: The Next Generation é lembrada inclusive pela NASA.

– Estrelas Além do Tempo (2016): O filme retrata o árduo caminho de Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson até serem reconhecidas por seus trabalhos na agência espacial, abrindo caminho para que outras mulheres ingressassem no campo de trabalho.

– Apollo 13 (1995): Inspirando-se nos acontecimentos da sétima missão tripulada do projeto Apollo, o filme com Tom Hanks e Kevin Bacon mostra como a tripulação da nave sobreviveu aos problemas causados pela explosão do módulo de serviço do satélite. Segundo a diretora de trajetória de voos da NASA, se não fosse o filme Apollo 13, seria muito difícil explicar o seu trabalho na agência americana.

LIVROS

História da Astronomia no Brasil – Dividido em dois volumes, este livro analisa desde registros astronômicos pré-históricos encontrados no país até as iniciativas internacionais recentes, como o projeto do telescópio Soar. O livro é disponibilizado em PDF para leitura e download gratuito no site do Museu Nacional de Astronomia e Ciências Afins (MAST/MCTI).

O Observatório no telhado – Livro biográfico de Georg Marcgrave, astrônomo e geógrafo alemão que veio ao Recife com a comitiva de Maurício de Nassau, no século XVII, e foi responsável por iniciar o primeiro estudo sistemático de Astronomia no Brasil, a partir do observatório construído no palácio de Friburgo em 1643, que foi o primeiro do Novo Mundo. O livro foi indicado ao Prêmio Jabuti em 2012, na categoria Ciências.

O Céu dos Índios de Dourados: Mato Grosso do Sul – Escrito em guarani e português, o livro origina-se do projeto “Etnoastronomia dos Índios Guarani da Região da Grande Dourados (MS), que possuía como meta reconstruir três observatórios solares na localidade. O Céu dos Índios de Dourados pode ser considerado uma complementação de “O Céu dos Índios Tembé”, que rendeu ao astrônomo, professor e autor Germano Bruno Afonso, o prêmio Jabuti em 2000.

Cosmos – Escrito por um dos maiores divulgadores de ciências do século XX, Carl Sagan, o livro retrata 14 bilhões de anos de evolução cósmica, explorando tópicos como a origem da vida, o cérebro humano, hieróglifos egípcios, missões espaciais, a evolução das galáxias e menção aos indivíduos que ajudaram a moldar a ciência moderna.

Origens: Catorze bilhões de anos de evolução cósmica – Escrito por Neil de Grasse Tyson e Donald Goldsmith, o livro traça o roteiro de uma ampla jornada científica aos aspectos macro e micro do universo. O surgimento das galáxias, aspectos da estrutura cósmica, nascimento de estrelas, planetas, a busca da vida extraterrestre são tópicos abordados no livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *