DIA DA MATA ATLÂNTICA

Com apenas um décimo de sua cobertura original, bioma da Mata Atlântica precisa ser defendido

Vinte e sete de maio é o Dia Nacional da Mata Atlântica. A data reveste-se de ainda mais importância no cenário atual, diante das várias iniciativas tomadas pelo Governo Federal para desmantelamento das políticas de proteção ao meio ambiente. Vários abaixo-assinados vêm circulando, por iniciativa de entidades como a SOS Mata Atlântica, parceira do Espaço Ciência (confira abaixo). Para reforçar estas iniciativas, o Museu convoca as famílias a escreverem cartas em defesa do bioma, para serem enviadas aos parlamentares e governo. As cartas podem ser encaminhadas ao Espaço Ciência (comunicacaoec@gmail.com) que, junto com os parceiros, se responsabiliza pelo envio aos destinatários.

ASSINE O ABAIXO-ASSINADO DA SOS MATA ATLÂNTICA

CONFIRA O VÍDEO DA SOS MATA ATLÂNTICA

Com apenas um décimo de seu tamanho original, a Mata Atlântica é um dos ecossistemas mais ricos do mundo e também um dos mais ameaçados. Instituída em 2006, a Lei da Mata Atlântica, que protege este bioma, vem sendo alvo de propostas de enfraquecimento e precisa ser defendida. 

Uma das propostas do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles,  pretende alterar o Decreto 6.660, de 2008, que regulamenta a Lei da Mata  para manter a proteção legal apenas para formações tipicamente florestais. Com isso, ficariam desprotegidos outros componentes vegetais interligados, como o cerrado. O decreto também ampliaria o limite das áreas que poderiam ser desmatadas sem autorização prévia do Ibama, passando a autorização apenas para órgãos ambientais locais.

As ameaças ficaram ainda mais evidentes nas gravações divulgadas no último dia 22,  quando o Ministro aparece afirmando que o governo deveria aproveitar o momento em que o foco está voltado para o Coronavírus para mudar regras de proteção ambiental. 

Desde o início do governo, foram várias as iniciativas que representam desmonte da política ambiental: desestruturação do Ibama e ICMBio; transferência de serviços para o Ministério da Agricultura; flexibilização e redução de multas ambientais; entre outras. Em abril passado, por exemplo, um despacho publicado no Diário Oficial da União permitiu o cancelamento de multas ambientais por desmatamento e incêndios provocados em áreas preservadas da Mata Atlântica. 

MATA ATLÂNTICA – O bioma, que hoje ocupa cerca de 13% do território do país, se distribuía originalmente por uma faixa litorânea que ia desde o Piauí até o Rio Grande do Sul. No mapa ao lado, é possível comparar a mata original (em verde escuro) com as áreas que ainda restam da mata (em verde claro). “Pernambuco abriga trechos importantes de Mata Atlântica. Portanto, é importante que a gente assuma nossa responsabilidade em preservar o que nos resta deste bioma”, afirma Zenaide Nunes, arquiteta e consultora ambiental. 

A Mata Atlântica abriga o maior número de espécies endêmicas de aves no Brasil. Segundo os valores oficiais, são 682 espécies de aves, sendo 199 delas endêmicas, ou seja, nativas. Contudo, das 160 espécies de aves ameaçadas no Brasil, 98 vivem na Mata Atlântica. As aves não são as únicas ameaçadas. Entre os primatas, por exemplo, são 23 espécies registradas no bioma (18 delas nativas), das quais 12 estão ameaçadas de extinção (Dados: Revisões em zoologia: Mata Atlântica, 2018)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *