DIA INTERNACIONAL DA LUZ

Para celebrar o Dia Internacional da Luz, o Espaço Ciência pergunta: – De que cor é o céu?

Este sábado, 16 de maio, é o Dia Internacional da Luz. Pelo terceiro ano consecutivo, o mundo celebra a luz e o papel que ela desempenha na ciência, cultura e arte, educação e desenvolvimento sustentável, e em campos tão diversos como medicina, comunicações e energia. Para marcar a data, o Espaço Ciência tem uma pergunta a fazer:

– De que cor é o céu?

As respostas podem ser enviadas por e-mail (comunicacaoec@gmail.com) ou em forma de comentários em nossas redes sociais. Na próxima terça-feira (19 de maio), Dia do Físico, uma das atividades propostas vai te ajudar a encontrar a resposta ao desafio.

O Dia Internacional da Luz  foi instituído pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e passou a vigorar em 2018, três anos depois do Ano Internacional da Luz, 2015. Em 2017, o Espaço Ciência se antecipou às comemorações anuais e inaugurou a exposição “De Olho na Luz”, no mês de maio, como parte da programação da Semana da Energia. A exposição funcionou durante dois anos e, depois de desmontada, seus experimentos foram alocados no Carrossel de Ótica do Espaço Ciência.

RELEMBRE A EXPOSIÇÃO DE OLHO NA LUZ

A exposição recebeu inclusive um visitante ilustre; o primeiro brasileiro a receber o prêmio Galileo Galilei, da International Commission for Optics (ICO), o físico Cid Bartolomeu de Araújo. Em entrevista para o Espaço Ciência, ele comentou sobre o fascínio que sempre teve pelo mundo da Ótica: “Já no curso secundário, eu achava interessante observar a superposição de dois feixes luminosos. Na época, a ótica não era valorizada. Eu não entendia essa área como algo ao qual eu pudesse me dedicar. Já como estudante de Engenharia, comecei a me interessar pela Luz para ser aplicada à materiais. Hoje, a gente sabe que a importância do estudo da Luz vai muito além…”

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA

“Do nascimento do universo à criação de todas as espécies de novas tecnologias, dos rádios-X às ondas de rádio, em campos tão diversos como medicina, agricultura, energia, óptica e inúmeros outros, a luz moldou – e continua a moldar – o nosso mundo. Ao entender a luz, nós somos capazes de alcançar o maior progresso científico e tecnológico”, afirmou, no ano passado, a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *