CIÊNCIA JOVEM CELEBRA 25 ANOS

Com depoimentos emocionantes e muita alegria, está oficialmente lançada a 25ª CIÊNCIA JOVEM

Está oficialmente lançada a 25ª Ciência Jovem. Com depoimentos emocionantes, a presença de parceiros de vários municípios e a energia contagiante dos jovens estudantes, a Feira de Ciências de Pernambuco, uma das maiores e mais antigas do país, celebrou nesta quarta, 7 de agosto, um quarto de século.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS

CONFIRA O VÍDEO

A celebração teve início com a mostra de três projetos que se destacaram na Ciência Jovem do ano passado. O EREM Ipojuca, Destaque 2018 de Pernambuco na categoria Desenvolvimento Tecnológico apresentou o projeto “Se é pra sustentar, faço renovar: Ciência e sustentabilidade”. A Escola Estadual Tabajara, vencedora  do Voto Popular, mostrou seu “Planetário Interdisciplinar”. E a ETE Almirante Soares Dutra, 4º lugar na categoria Incentivo à Pesquisa, expôs o projeto “O uso da Matemática no reaproveitamento da água da pia sanitária”.

As turmas da ETE Almirante Soares Dutra e da Escola Tabajara vieram prestigiar o trabalho dos colegas e conhecer um pouco mais sobre a Ciência Jovem. Na entrada do auditório, uma pequena exposição reunia camisas, troféus, recortes de jornais, fotos, medalhas e outros acessórios das diversas edições da Feira. Uma retrospectiva histórica que continuou durante a cerimônia de lançamento.

O evento contou com a presença do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Pernambuco, Aluísio Lessa; de representantes da Secretaria Estadual de Educação e de parceiros de Timbaúba, Vicência, Riacho das Almas, Araripina, Paudalho e Riacho das Almas, além de instituições e empresas como o SESC, Rotary e Carvalheira. Feiras afiliadas à Ciência Jovem, como a Fecon e Expo NIP, também marcaram presença.

Diretor do Espaço Ciência e responsável há 25 anos pela condução do Museu e da Ciência Jovem, Antonio Carlos Pavão ressaltou a importância de estimular a pesquisa e experimentação na escola. “Toda criança tem algo de cientista. Ela quer entender o porquê das coisas. Feiras de Ciência estimulam essa curiosidade natural do ser humano”, afirmou.

Em tempos de cortes e contingenciamentos dos investimentos federais, o secretário de Ciência e Tecnologia, Aluízio Lessa, garantiu que Pernambuco trilha o caminho inverso: ampliou o orçamento das verbas da Universidade Estadual (UPE) e do orçamento para Ciência e Tecnologia. “Não é que tenha dinheiro sobrando. É que o governo tem consciência de que Educação e Ciência  não é gasto: é investimento, com resultados garantidos”. 

Uma fala que foi corroborada pela representante da Secretaria de Educação, Adriana França, ao citar o talento e competência dos estudantes e professores, que se traduz em participações de destaque em eventos nacionais e internacionais.

25 ANOS – Nesta comemoração dos 25 anos de existência, a Ciência Jovem prestou homenagem a escolas e educadores que fizeram parte desta história. É o caso da EREM Jáder de Andrade, que foi vencedora da primeira edição da Feira com o projeto “Zona da Mata ou Zona da Cana? Impasses da modernidade para a Mata Norte de Pernambuco”.

Lúcia Melo era vice-diretora na época. Ela e a diretora se revezaram na tarefa de acompanhar todo o trabalho da equipe, bem como a participação na Feira. A diretora acompanhou a turma no primeiro dia do evento e, ao ser sorteada com uma coleção de livros para a escola, se emocionou, passou mal e, levada ao hospital, acabou não resistindo. “Ela não teve a alegria de ver a turma ser campeã e de acompanhar o grupo para se apresentar em São Paulo”, conta Lúcia, com a voz embargada e lágrimas nos olhos.

Essa participação pioneira da Jáder de Andrade na Ciência Jovem continuou nas edições seguintes, até hoje. “Nós sentimos orgulho de ser parte de uma escola que é referência nacional no ensino público. Sabemos o quanto é importante a parceria com instituições como o Espaço Ciência, que reconhecem este potencial de nossos jovens”, ressalta a atual gestora, Aldair Gonçalves.

Também receberam homenagens. É o caso do educador Jaildo Pereira, de Araripina – que iniciou sua participação na Ciência Jovem como aluno e continuou depois que se tornou professor; e Alberes Victor, de Paudalho, que orienta equipes participantes da Feira desde 1997: “Hoje alguns destes alunos estão concluindo o doutorado, superaram o mestre. E é isso que a gente deseja, como educador”, conta.

As inscrições para a 25ª CIÊNCIA JOVEM ficam abertas até o final do mês. Para projetos de Feiras afiliadas, o prazo vai até 15 de agosto:

SAIBA MAIS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *