REVELAÇÕES DA CIÊNCIA JOVEM

Grupo que desenvolveu aplicativo contra arboviroses, em projeto para a Ciência Jovem, ganha mais um prêmio internacional

 

Alunos da Universidade Católica de Pernambuco, Jeovani Cipriano e Gisele Araújo receberam mais um prêmio internacional por um projeto que foi revelado na 22ª Ciência Jovem, em 2016. Jeovani era ainda aluno do EREM Desembargador Renato Fonseca, de Jardim Brasil I, quando consagrou-se na Ciência Jovem. De lá para cá, o projeto vem acumulando prêmios. Desta vez, a conquista foi no Encuentro Internacional de Ciencia, Tecnología e Innovación, realizado na semana passada, no México. Com isso, garantiu a participação em outro evento internacional de tecnologia, na Argentina, em outubro de 2018.

Premiado como Destaque em Iniciação à Pesquisa na Ciência Jovem 2016, o projeto já foi reconhecido pelos governos municipal, estadual e federal; apresentado em audiência no Ministério da Saúde, em Brasília; e conquistou  o 1° lugar na Feira Internacional Teccien, realizada na capital paraguaia no ano passado. 

O aplicativo Caça ao Mosquito, que roda nos sistemas operacionais Android e IOS, estimula a população a fiscalizar e denunciar focos de dengue em sua cidade e comunidade. Há informações sobre a doença, dicas para evitar a proliferação do mosquito, espaço para as denúncias e um sistema de mapeamento por GPS, que permite a localização dos focos de denúncia. Os dados das denúncias são repassados às secretarias de Saúde dos municípios para que o problema seja solucionado em até cinco
dias úteis.

Jeovani Cipriano, recém-aprovado na faculdade de jornalismo, era aluno do 3º ano do Ensino Médio quando desenvolveu o aplicativo. “Eu nunca tinha feito nenhum curso nem sabia como fazer um aplicativo. Tive que pesquisar muito, acompanhar vários tutoriais, passar muitas noites em claro…”, conta o estudante.

LEIA MAIS SOBRE O PROJETO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *