Leopoldo Nachbin

(1922-1993) Matemático Homenageado em 2011
Série Sinopses Biográficas

leopoldo-nachimbinLeopoldo Nachbin nasceu em 7 de janeiro de 1922 em Recife, Pernambuco. Filho dos judeus imigrantes Jacob Nachbin, historiador e jornalista polonês, e da austríaca Léa Drechter Nachbin, ficou órfão de pai aos nove anos e foi criado por sua mãe, que era muito zelosa com relação aos estudos do filho.

Cursou o primário no grupo escolar João Barbalho. Fez o curso secundário no Ginásio Pernambucano, e foi neste período que começou a se interessar pela matemática. Em seu primeiro ano do ensino secundário, Leopoldo quase foi reprovado em matemática. No ano seguinte, fez um grande esforço para entender o que era a mesma, acabando por gostar da disciplina e se destacar dentre os alunos.

Como em Recife não existia um suporte eficiente para estudos nessa área, seu professor, Luiz Ribeiro, aconselhou sua mãe a lhe mandar para o Rio de Janeiro para melhor desenvolver sua aptidão. Mudou-se então para o Rio, em 1939, e neste mesmo ano entrou para a Escola Nacional de Engenharia. Como não era permitido a um aluno frequentar dois cursos simultaneamente em entidades de ensino superior públicas, Leopoldo participava de aulas regulares e assistia, como aluno ouvinte, às aulas de matemática, ministradas por professores recentemente vindos da Itália, na Faculdade Nacional de Filosofia.

Aos 19 anos (1941), teve seu primeiro trabalho publicado nos Anais da Academia Brasileira de Ciências, que foi apresentado por Gabriele Mammana, um dos grandes matemáticos que lhe serviram de inspiração. Em 1942, publicou na Itália, um trabalho pioneiro sobre Espaços Vetoriais Topológicos, mesmo ano em que recebeu o prêmio Licínio Cardoso, instituído pela Fundação Licínio Cardoso e destinado a alunos da Escola Nacional de Engenharia, pela qual, em 1943, recebeu seu título de Engenheiro Civil.

Formou-se, mas não chegou a trabalhar como engenheiro. Após o término de sua graduação, ficou trabalhando como professor assistente na cadeira de Cálculo, posteriormente o professor Djalma Hasselman, da Faculdade Nacional de Filosofia, lhe conseguiu um emprego como professor de Física no Centro de Preparação dos Oficiais da Reserva (CPOR) da Aeronáutica, dando assim continuidade a sua carreira como professor.

Em seguida, estudou e pesquisou na Universidade de Chicago, voltando ao exterior em várias outras ocasiões, desenvolvendo avançadas pesquisas e ministrando cursos em Universidades de Chicago, Princeton, Brandeis e Rochester, nos Estados Unidos, e de Paris, na França. Ingressou na Fundação Getúlio Vargas em 1946. Em 1947, foi contratado como professor regente na Faculdade Nacional de Filosofia, mesmo ano em que defendeu sua tese de livre-docência na área de Topologia, assumindo, no ano seguinte, a cadeira de Análise Matemática.

Foi o criador da teoria de Espaços Hewitt-Nachbin, empregada na matemática pura. Em 1949 participou da fundação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF). Publicou, em 1950, um dos seus trabalhos mais citados na Transactions of American Mathematics Society, sobre o teorema de Hahn-Banach para aplicações em espaços normados, até a presente data com mais de 180 citações. Participou também da fundação do Instituto de Matemática Pura e Aplicada, IMPA, em 1952.

Em 1956, casou-se com Maria da Graça Mousinho, com quem teve três filhos: André, Lea e Luís. Foi o primeiro matemático brasileiro a conseguir bolsa de estudo de fundações norte-americanas e também o primeiro a receber o prêmio Moinho Santista (1962), dado a cientistas brasileiros de destaque.

Foi professor visitante em muitas universidades europeias e americanas e o primeiro conferencista brasileiro convidado para um Congresso Internacional de Matemáticos, o de Estocolmo, Suécia (1962). O título da conferência “Résultats récents et problèmes de nature algébrique en théorie de l’approximation” tratava de seus trabalhos sobre Álgebras Topológicas, Funções Diferenciáveis e Aproxima- ção Polinomial Ponderada.

Recebeu, entre vários outros, o prêmio Bernardo Houssay de Matemática, concedido pela Organização dos Estados Americanos (OEA), em 1982, sendo primeiro matemático a receber tal distin- ção. Teve quatro livros editados no exterior: The Haar Intregral (1965), Topology and Order (l965), Elements of Approximation Theory (l967) e Topology on Spaces of Holomorphic Mappings (1969).

Publicou quase cem artigos em revistas de matemática nos Estados Unidos, França, Itália e outros países. Leopoldo Nachbin faleceu no Rio de Janeiro, no dia 3 de abril de 1993, aos 71 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *