Gilberto Osório de Andrade

(1912-1986) Geomorfologista Homenageado em 2007
Série Sinopses Biográficas

gilberto-osorioGilberto Osório de Andrade nasceu no dia 23 de julho de 1912, em Recife (PE). Diplomou-se, em 1933, no curso de bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais da então Faculdade do Recife, onde foi professor de Direito Constitucional durante a década de 1940. Como docente, consagrou-se como grande professor de Geografia Física. Foi ainda professor Catedrático de Geografia Física na Faculdade de Filosofia da Universidade do Recife e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Católica de Pernambuco.

Até poucos anos antes de morrer, ministrou aulas e orientou alunos do curso de Mestrado em Geografia da Universidade Federal de Pernambuco. Neste curso, do qual foi um dos fundadores, juntamente com Rachel Caldas Lins, Mário Lacerda de Melo e o igualmente notável cientista pernambucano Manoel Correia de Andrade, ministrou duas disciplinas: Bases e Métodos da Geomorfologia e Morfoclimatologia. Foi Deputado Estadual pela UDN e líder de sua banca no quadriênio do governo de Barbosa Lima Sobrinho.

Ocupou, por algum tempo, as pastas do Governo e da Educação e Cultura no governo Etelvino Lins. Possuidor de uma oratória impecável, os seus argumentos e o nível elevado do português que empregava durante a exposição de suas ideias não davam margem a ataques verbais de seus oponentes.

Mesmo sendo, politicamente, um homem de Direita foi o único dos parlamentares pernambucanos que teve a coragem de defender, na Assembleia Legislativa, os deputados do Partido Comunista Brasileiro (PCB) que haviam sido cassados e estavam sendo torturados pela Polícia Política Estadual.

Desiludido com o mundo político, não fez nenhum esforço para ser reeleito Deputado Estadual. Como jornalista, dirigiu o Jornal Pequeno e colaborou no Jornal do Comércio e outros órgãos da Imprensa. O seu interesse pelos campos da História e Geografia nasceu da sua paixão por leitura.

Como historiador e geógrafo, Gilberto Osório foi um autodidata. Sua passagem literária pela história ficou marcada especialmente pelos livros que escreveu: “A Cólera-Morbo – um momento crítico da História da Medicina em Pernambuco”, “Montebelo, os Males e os Mascates: Contribuição para a História de Pernambuco na segunda metade do século XVII”, “Mourão, Rosa e Pimenta – Notícia dos três primeiros livros em vernáculo sobre a Medicina no Brasil” e “Pirapama- um estudo histórico e geográfico”, que redigiu com Rachel Caldas Lins.

A contribuição de Gilberto Osório de Andrade à Geografia Física foi importante. Seus estudos concentraram-se em dois ramos dessa parte da Geografia: a Geomorfologia e a Climatologia. Participou ativamente do Congresso Internacional de Geografia, realizado em 1956, onde apresentou o 25 Série Sinopses Biográficas trabalho intitulado “Furos, Paranás e Igarapés – Análise genética de alguns elementos do sistema potamográfico amazônico.”

Dentre as suas obras destacam-se: “Migrações internas e o Recife”, “Propósito de Universidade”, “Os Fundamentos da Neutralidade Portuguesa”, “A Serra Negra”, “Inéditos de frei Jaboatão”, “A supraconstitucionalidade da declaração de direitos”, “João Pais do Cabo: O Patriarca, seus filhos, seus engenhos.”

Também foi poeta, pertenceu a Academia Pernambucana de Letras, ao Conselho Estadual de Educação, do qual foi presidente, e foi pesquisador do Departamento de Ciências Geográficas da Fundação Joaquim Nabuco. No dia 30 de Julho de 1986, em Recife, aos 74 anos, Gilberto Osório faleceu. E teve seu último pedido, feito à Rachel Caldas Lins, atendido: “Não coloque sapatos nos meus pés. Não me cubra de flores. Não faça do meu enterro uma festa. Deixe-me ir, sem estardalhaço, para a Casa do Pai.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *