Ciência Jovem

ACESSE AQUI PARA FAZER SUA PRÉ-INSCRIÇÃO

SE LIGUE NAS DATAS:

MARÇO – Afiliação e reafiliação de Feiras de Ciência
ABRIL – Pré-inscrições
AGOSTO – Inscrições
SETEMBRO – Divulgação de projetos selecionados
NOVEMBRO – 27ª CIÊNCIA JOVEM

 

A CIÊNCIA JOVEM é uma das mais antigas e maiores Feiras de Ciências do Brasil. Realizada há 27 anos, pelo ESPAÇO CIÊNCIA, Museu Interativo de Ciência de Pernambuco, ela reúne, todos os anos, cerca de 300 projetos de estudantes e professores de todos os estados brasileiros e também de outros países. Aberta a alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, nas Redes Pública e Privada de Ensino, ela tem como objetivo, não apenas revelar os talentos científicos individuais, mas sobretudo fomentar a Educação Científica, com realização de pesquisas e projetos na escola – de forma integrada ao currículo acadêmico. Realizada sem cobrança de qualquer taxa de inscrição, ela atinge sobretudo os alunos de escolas públicas, que constituem mais de 70% dos participantes.

Com 27 anos de existência, a Ciência Jovem tem a mesma idade da instituição que a promove: o Museu Espaço Ciência. Isso evidencia a importância que o Museu atribui à formação de pesquisadores na escola. Não à toa, o Físico José Reis, célebre por suas contribuições à Divulgação Científica, qualificava as Feiras de Ciência como “uma revolução pedagógica”.

Os projetos distribuem-se em seis categorias e englobam as mais diferentes áreas e temáticas: das Ciências Humanas e Sociais às Ciências Exatas e da Terra. Procura-se estimular o desenvolvimento das pesquisas desde cedo. Por isso, a Categoria INICIAÇÃO À PESQUISA recebe trabalhos de alunos da Educação Infantil e primeiros anos do Ensino Fundamental. Trata-se do despertar da curiosidade e, a partir dela, a cada categoria, as pesquisas podem ser aprofundadas, de forma que o estudante adquira esta prática da investigação científica durante todo o percurso escolar. A categoria DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA contempla projetos de estudantes do Fundamental II (6º ao 9º ano). Na Categoria INCENTIVO À PESQUISA, alunos do Ensino Médio aprofundam suas investigações em estudos que, quase sempre, seguem o rigor científico de projetos produzidos em grandes centros de pesquisa. Também voltado aos alunos de Ensino Médio, a categoria DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO consiste na produção de um produto, procedimento ou objeto técnico, também com o rigor necessário para alcançar os resultados esperados. Há, ainda, a categoria FRANCIS DUPUIS, para projetos internacionais; e a categoria EDUCAÇÃO CIENTÍFICA, voltada a educadores, que é um dos diferenciais da Ciência Jovem. Nela são apresentados projetos que relatam práticas pedagógicas exitosas, originais e bem sucedidas para motivar os alunos a estudar Ciência.

Os projetos são representados por dois alunos e um orientador, com exceção dos projetos de EDUCAÇÃO CIENTÍFICA (representado apenas por um educador). Significa uma média de 850 participantes a cada edição. Para estimular a realização das pesquisas durante todo o calendário escolar, a CIÊNCIA JOVEM realiza pré-inscrições no mês de abril. Neste momento, os participantes deverão esboçar a temática que desejam pesquisar e a metodologia e programação que serão cumpridas. A pré-inscrição não é obrigatória nem garante a inscrição definitiva, que deve ser feita em agosto. Mas rende um ponto extra no resultado final.

Consciente do papel exercido pelas Feiras de Ciência na melhoria da Educação, a Ciência Jovem busca reforçar, a cada ano, a rede de articulações com outras Feiras do estado, do país e do mundo. As afiliações ocorrem sempre no mês de março e, atualmente, são 135 feiras afiliadas, de alcances escolares, estaduais, nacionais e internacionais. Tais feiras têm a vantagem de indicar pelo menos um projeto para participar da CIÊNCIA JOVEM, que não passam pelo processo de seleção ao qual os inscritos são submetidos. Geralmente, a cada ano, mais de 600 projetos são inscritos, dos quais são selecionados os 300 participantes.

Além do processo de afiliação, a CIÊNCIA JOVEM também tem investido na criação de uma rede de feiras no estado de Pernambuco, com realização de seminários de formação e apoio à Feiras Municipais. Com isso, vem garantindo o crescimento do número de Feiras de Ciências realizadas nas diversas cidades do estado.

 

CONFIRA COMO FOI A 26ª CIÊNCIA JOVEM

CONFIRA COMO FOI A 25ª CIÊNCIA JOVEM

 

LEIA O LIVRO DE JOSÉ REIS:

FEIRAS DE CIÊNCIAS: UMA REVOLUÇÃO PEDAGÓGICA

Últimas notícias

CIÊNCIA PARA UM MUNDO MELHOR

Ideias sustentáveis, de combate à poluição e reaproveitamento de resíduos, são destaques da 25ª CIÊNCIA JOVEM